6 dicas para calouros em Psicologia

Dicas e reflexões sobre o início da graduação

Março marca o início do semestre letivo em muitas faculdades e com isso muitos calouros entram em contato com o mundo universitário pela primeira vez. Dentro desse mar de mudanças e novidades que muitas vezes significam o início de uma nova fase na vida, uma dose de ansiedade, empolgação e diversos outros sentimentos podem estar presentes. Vamos conversar um pouco sobre isso tudo? Separei seis dicas relacionadas a esse tema e convido você a caminhar por elas comigo, topa?

1- Tá empolgado e quer fazer tudo esse semestre? Calma, respira!

Muitos centros acadêmicos possuem várias atividades para além das aulas da graduação e pode ser que toda a empolgação de estar iniciando algo novo desperte a vontade de fazer várias delas.

A graduação levará em torno de 10 semestres ( pode variar se seu curso for período integral). Isso significa que não é necessário que você engula todos os livros, cursos e atividades extras durante o primeiro semestre! Pode ser que você esteja sedento por aprender, mas reflita sobre como isso pode ser feito de maneira que não te prejudique. Às vezes, atividades que são empolgantes inicialmente podem se tornar sobrecargas. Se essa reflexão fizer sentido para você, busque olhar quanto tempo suas aulas ocupam na sua rotina e quais outras atividades é POSSÍVEL inserir.

Vale ressaltar que em 2021 foi publicado um artigo na revista Sustinere nomeado Saúde Mental e vida universitária: desvendando Burnout em estudantes de Psicologia. O artigo apresenta dados de uma pesquisa realizada por Castro-Silva, Maciel e Melo e apresenta a importância do monitoramento da saúde mental dos estudantes durante a formação universitária.

2- Sinta como os conteúdos das disciplinas te afetam pessoalmente

Pode ser que a caminhada na graduação em Psicologia te apresente conteúdos que balancem sua visão de mundo. Mas como assim?

Que a graduação nos faz entrar em contato com conteúdos nunca vistos antes não é uma grande novidade, né? Mas a graduação em Psicologia e em outros cursos da área de Humanas trazem especificamente conteúdos sobre aspectos da sociedade e das relações humanas e o contato com todas essas novas informações pode proporcionar reflexões significativas sobre sua vida e seus relacionamentos.

Tendo essa possibilidade em vista, aproveite a existência de espaços de reflexões junto aos alunos e professores. Debates, trabalhos em grupo e grupos reflexivos podem ser experiências que auxiliem no processo de acomodação dos novos conteúdos estudados.

3- Reflita a respeito de realizar um processo de Psicoterapia

Um outra possibilidade de espaço para acomodar e pensar sobre todas as reflexões levantadas durante a graduação pode ser a realização de um processo de Psicoterapia ou de Análise. Para aqueles que ainda não tiveram contato direto com sessões de Terapia, de um modo geral elas constituem um espaço de abertura e reflexão com o objetivo de acolher demandas. Nas palavras de Pompeia e Sapienza (2004), a “terapia é pró-cura, isto é, terapia é para cuidar”. Os autores também caracterizam a terapia como um processo que pode proporcionar um reencontro da expressão do nosso modo de sentir.

Além disso, a experiência pode ser interessante também para vivenciar como é ser acompanhado por um(a) Psicólogo(a).

4- Tudo bem ter incertezas

No decorrer da graduação, descobrimos que a ciência Psicologia se desenvolveu em diferentes áreas de atuação como a clínica, escolar, hospitalar, organizacional e jurídica, entre outras. Isso sem falar que dentro de cada área de atuação existem diversas abordagens e temáticas diferentes. Pode ser que você sinta afinidade para algumas dessas áreas desde agora, mas e se esse não for o caso?

Vale a pena retomar a importância de ter calma e paciência consigo mesmo e o questionamento: será que é necessário ter essa clareza desde agora? Ou será que está tudo bem não ter essa resposta ainda ?

As próprias matérias e estágios do curso apresentarão a possibilidade de entrar em contato com as diferentes áreas dentro da Psicologia. Outra sugestão é explorar os cadernos temáticos do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo, você já ouviu falar neles?

5- Aproveite seus professores

Lembro-me do constante sentimento de admiração pelos meus professores da graduação. O conhecimento deles e a maneira como eles conduziam a turma por um processo de aprendizagem que envolvia desconstruções e reconstruções constantes era encantador para mim. Essa última dica tem um toque bem pessoal, mas não perde sua relevância: Aproveite o contato com seus professores! Eles trilharam anos de prática e pesquisa até o momento presente e estão ai, aula após aula, compartilhando a bagagem deles com vocês. Pergunte e participe de maneira ativa e presente, claro, se isso fizer sentido para você.

Após a graduação, conversar com alguém sobre dúvidas e reflexões sobre a prática caracteriza uma supervisão. As supervisões são riquíssimas e importantes, contudo existe investimento financeiro para realizá-las. Para refletirmos, a última tabela de valores do Conselho Federal de Psicologia-CFP, trouxe o valor médio de R$334,00 para Supervisão de atividades Psicológicas.

Toda a graduação envolve investimento financeiro também, tanto nas mensalidades como nos custos com materiais, transporte, moradia, etc…Mas especificamente nesse momento, os professores tendem a estar disponíveis para vocês sem que isso signifique algum tipo de investimento adicional.

6- Sinta a experiência da graduação e cuidado com comparações

Finalizo esta postagem com uma última reflexão: sintam a experiência da graduação em Psicologia e aproveitem a construção da história de vocês entrelaçada a esta ciência. Cada um tecerá uma caminhada única em relação a graduação, alguns com certas afinidades e outros com outras.

Tome cuidado com comparações. Caso você as perceba reflita sobre o quão construtivas ou destrutivas elas são para você.

E ai, o que achou das dicas? Fique à vontade para deixar seu comentário!

Obrigada pela companhia

Bárbara de Souza Miranda

Psicóloga – CRP 06/150368

Referências

POMPEIA, J.A.; SAPIENZA, B.T. Uma caracterização da Psicoterapia. In: POMPEIA, J.A.; SAPIENZA, B.T. Na presença de sentido: Uma aproximação teórica a questões existenciais básicas. São Paulo: EDUC; Paulus, 2004, 153-170.

CASTRO-SILVA, I.I.; MACIEL, J.A.C.; MELO, M.M. Saúde mental e vida universitária: desvendando burnout em estudantes de Psicologia. in: Revista Sustinere, Rio de Janeiro, v.9, n.1, p.5-22, jan-jun, 2021.

Imagens retiradas do site https://pixabay.com/pt/ – acesso em 07/03/2022 às 22:40.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s