Feminismo e Psicanálise

Porque os homens não abrem mais os potes de picles?

Porque agora as mulheres podem, simples assim. E alguns homens (a grande maioria) não sabem como lidar com isso. Usei de um estereótipo sabido na sociedade como sendo função masculina, mas não o usei de forma descabida, ele serve para ilustrar algo maior. A posição social de homens e mulheres.

O feminismo é um movimento social e político que teve seu início no século XIX, e ganhou força no século passado, com a entrada de mais mulheres no mercado de trabalho e na cena política nacional.

Feminismo e Psicanálise

O posicionamento assumido pelas mulheres na sociedade atualmente, assusta muita gente. Há algumas mulheres que não se posicionam de forma distinta, é bem verdade, mas é interessante notar a mudança.

Penso que a psicanálise nos sirva como norteador de tal debate social. Muitos psicanalistas falam da queda do significante fálico, isto é, do ponto de basta, do corte. A sociedade vive o liberalismo em seu máximo esplendor, homens e mulheres não ocupam mais papéis (ou funções) bem definidos. É muito difícil definir o que é um homem e o que é uma mulher, nos dias de hoje. Há vinte anos isso era bem possível.

Em psicanálise se pensa o lugar que o sujeito ocupa em seu discurso, ou seja, como ele se posiciona frente ao mundo, de que lugar fala, para quem fala. Por esta razão é importante lembrarmo-nos do lugar que a mulher ocupa no discurso social. Lhe é sempre imputado o lugar secundário, o de coadjuvante, em lugar de serventia ao homem, “você deve ser uma boa esposa, arrumar um bom partido”, é o que se diz. Mas as relações sociais não são estáticas, transformam-se.

Feminismo Hoje

Hoje em dia todo ato que visa maestria, um ato de ordem, de comando, é tomado como machista. Nesse ponto se enlaça o que tratei acima como ponto de corte, não há a diferenciação das coisas. Vivemos em um período socialmente liberal, temas como o feminismo são tratados abertamente, como jamais foram. Nos resta, de algum modo, encontrar nossa maneira de lidar com tudo isso.

O psicanalista francês Jaques Lacan já falava da independização das mulheres. Na década de sessenta, Lacan antecipava o mundo moderno. A maior prova de quê a
mulher não mais precisa do homem é a inseminação artificial, procedimento médico que ganhou força no meio do século XX. O homem não ocupa mais, necessariamente, o papel central dentro da estrutura familiar, e progressivamente dentro da sociedade como um todo (salvaguardam-se os salários que ainda não se equiparam, os homens ainda ganham mais que as mulheres).

Para o psicanalista brasileiro Jorge Forbes as pessoas estão desbussoladas. Ao falar dessa falta de direção, ou, desbussolamento, como ele diz, explica que as referências não são mais fixas, como antes foram. O psicanalista discute as implicações desse novo modelo social (não se restringindo ao debate feminista), até que ponto esse liberalismo vigente é razoável? Vivemos em um tempo privilegiado, historicamente falando, estamos a presenciar transformações nas relações nunca antes vistas, e poderemos vislumbrar os frutos dessa revoluções mais a frente. Quem viver verá.

Devemos nos remeter às antigas construções ou novas referências devem ser ainda
construídas? Fica o questionamento. Até a próxima.

Por Igor Banin

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s